Espécie da vez

Quokkas estão ameaçados de extinção

Pequeno marsupial ficou famoso nas redes sociais por parecer sempre sorridente em fotos

Foto Institucional Marsupial é comum da região sudoeste da Austrália / Crédito: reprodução
21 de Novembro de 2016

Sucesso nas redes sociais, o quokka (Setonix brachyurus) é considerado o animal mais feliz do mundo. A fama deve-se ao fato de ele sempre parecer estar sorrindo nas fotos, além de adorar fazer poses para selfies com os turistas na Austrália. Mas a alegria está distante da realidade do marsupial, classificado recentemente como espécie vulnerável de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza.

O quokka habita exclusivamente o sudoeste da Austrália. Ao ver esse marsupial pela primeira vez, o explorador holandês Willen de Vlamingh o descreveu como "uma espécie de rato tão grande como um gato" e, por isso, batizou o lugar onde os avistou como Rottenest (ninho podre).

A ilha de Rottnest, situada perto da cidade de Perth, é o principal habitat dos quokkas, com cerca de 8 mil a 12 mil exemplares. Porém, desde a colonização europeia no final do século XVIII, sua população diminuiu drasticamente para os atuais 4 mil exemplares.

Redução e degradação de seu habitat estão entre os principais fatores responsáveis pelo sumiço dos quokkas. Em fevereiro de 2015, um grande incêndio florestal que consumiu 98 mil hectares de floresta do sul da Austrália Ocidental agravou a situação.

"Achamos que havia cerca de 500 exemplares antes do incêndio e os estudos indicam que agora há apenas 39. Nos entornos da área incendiada há mais exemplares e acreditamos que possam ter fugido das chamas para esses lugares", disse Merril Halley, encarregada da conservação de espécies do Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Os sobreviventes, agora vivem isolados e em pequenos espaços, nos quais há pouca vegetação e onde ficam mais expostos como presas. Entre os predadores estão o cão selvagem, que chegou ao continente há 4 mil anos, e raposas e gatos introduzidos pelos europeus. De acordo com a WWF, serão necessários 15 anos para que a população da área incendiada se recupere.

As mudanças climáticas também ameaçam os quokkas. O sudoeste do país seca em determinadas épocas, restringindo ainda mais seu território.

Características

O quokka constrói sua casa em pântanos e matagais. Com pouco mais de 40 centímetros, ele tem pelagem marrom acinzentada e uma longa cauda. É considerado a versão menor dos wallaby. As fêmeas têm somente um filhote ao ano e vivem, em média, dez anos.

Herbívoro noturno, o marsupial se alimenta de ervas, folhas, raízes e sementes. Se a vegetação é escassa, ele pode escalar pequenas árvores para encontrar alimento.

O quokka possui uma grande habilidade de regular sua temperatura corporal, se adaptando ao clima australiano. Ele também pode armazenar gordura em sua cauda, para lidar com disponibilidade de alimentos.

Agenda