Amda solicita ação do MP contra a Copasa

Empresa recusa-se a prestar esclarecimentos sobre o tráfego de caminhões pipa pela rodovia que atravessa o Parque do Rola Moça.

 

A Amda enviou representação ao Ministério Público de Minas Gerais, solicitando investigação sobre tráfego de caminhões pipa da Copasa na estrada que corta o Parque Estadual da Serra do Rola Moça, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Há quase dois meses a entidade tenta obter informações sobre quando começou o transporte, seu objetivo, tempo de duração, responsável pelo serviço, custo e quantidade de caminhões utilizados. Mas resposta foi vaga e genérica. “Parece que a Copasa tem algo a esconder. Ou então é prepotência e arrogância”, ironiza Dalce Ricas, superintendente da Amda.

Há cerca de quatro anos, caminhões pipa da Copasa saem todos os dias do bairro Jardim Canadá, em Nova Lima, em direção a bairro Casa Branca, em Brumadinho. "Os caminhões colocam, diariamente, em risco a vida de milhares de pessoas em carros pequenos que também utilizam a rodovia, que é perigosa devido às curvas, estreitamentos da pista, abismos, aclives e declives acentuados. Além disto, os caminhões emitem toneladas de gás carbônico pela queima de combustíveis fósseis", destacou a Amda, em ofício.

A representação foi enviada na segunda-feira (12) à promotora Ludmila Costa Reis, da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Brumadinho, e ao promotor Lucas Marques Trindade, da Coordenadoria Regional das Bacias do Rio das Velhas e Paraopeba.

 

 

Rua Antares, 100, Santa Lúcia
Belo Horizonte / MG CEP: 30360-110
Telefone: (31) 3291 0661

Assine e receba as novidades e notícias sobre nossas ações, eventos e meio ambiente