Array
Notícias

Sociedade vai às ruas para protestar contra desmonte socioambiental no Congresso

Array
Sociedade vai às ruas para protestar contra desmonte socioambiental no Congresso

Press release

Belo Horizonte, 15 de junho de 2023 – No dia 18 de junho, próximo domingo, a Amda se juntará a milhares de ativistas, organizações e coletivos em todo o país para protestar contra o Desmonte Socioambiental no Congresso Nacional. Haverá atos semelhantes em São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Brasília. Em BH, o protesto será realizado na Praça da Liberdade. O objetivo é protestar contra as propostas legislativas que atacam povos indígenas, florestas, clima, água e biodiversidade.

Para Dalce Ricas, superintendente da Amda, a sociedade tem de reagir contra os parlamentares que atuam em defesa de setores econômicos que querem “carta branca” para desmatar, poluir e manter a política genocida contra populações indígenas.

“Castro Alves, numa das mais lindas poesias contra a escravidão disse: “E existe um povo que a bandeira empresta, pra cobrir tanta infâmia e covardia…”. A maioria dos brasileiros se diz preocupado com a questão ambiental. É preciso, no entanto, que mostrem isso aos políticos. A questão ambiental é planetária e não adianta fingir que não nos atingirá”, diz.

A Amda levará enorme motosserra para exprimir a indignação contra o desmatamento. Segundo o Relatório Anual de Desmatamento no Brasil (RAD), do MapBiomas, divulgado nesta semana, a área desmatada cresceu 22,3% no país em 2022. Juntos, Amazônia e Cerrado responderam por 70,4% dos alertas de desmatamento e 90,1% dos 2.057.251 hectares perdidos no ano passado.

A destruição dos biomas brasileiros avança com o aval do Congresso, que tem aprovado propostas como a Medida Provisória (MP) 1.150/22, que ataca o Código Florestal e a Mata Atlântica, deixando sem previsão a recuperação de áreas ilegalmente desmatadas há mais de 15 anos e ameaçando o pouco que resta do bioma.

Entre os retrocessos aprovados pelo Congresso também estão a MP 1.154/23, que enfraquece o Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), e o Projeto de Lei (PL) 490, que estabelece o chamado marco temporal para as Terras Indígenas. A proposta inviabiliza a demarcação de terras e coloca em risco a sobrevivência dos povos originários no Brasil, enquanto o agronegócio avança sobre a floresta amazônica.

Ato Cívico contra o Desmonte Socioambiental no Congresso Nacional

São Paulo: 18/6, às 15h, em frente ao MASP, na Avenida Paulista.
Belo Horizonte: 18/6, às 10h, na Praça da Liberdade.
Florianópolis: 18/6, às 15h, na cabeceira insular da ponte Hercílio Luz.
Brasília: 21/6, às 16h, no gramado em frente ao Congresso Nacional.
Rio de Janeiro: 23/6, às 17h, na Cinelândia.