Array
Notícias

Devastação na Amazônia triplica em março

Array
Devastação na Amazônia triplica em março
Crédito: Ana Cotta [CC BY]

A derrubada da floresta amazônica triplicou em março, fazendo com que o primeiro trimestre de 2023 terminasse com a segunda maior área desmatada em pelo menos 16 anos. Entre janeiro e março deste ano, a Amazonia perdeu 867 km², o equivalente a mil campos de futebol por dia, revela monitoramento por imagens de satélite do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

A destruição só não foi maior do que a de 2021, quando foram desmatados 1.185 km2 de janeiro a março, o equivalente a aproximadamente 165 mil campos de futebol. Somente março foi responsável 3por 44 km² de desmatamento, um aumento de 180% na comparação como mesmo mês de 2022, quando foram derrubados 123 km².

O ano de 2023 já detém o segundo pior março desde o início do monitoramento do Imazon, em 2008. Dos nove estados que compõe a Amazônia Legal, somente o Amapá não registrou alta. A maior devastação foi vista no Amazonas, onde o desmatamento passou de 12 km² em março de 2022 para 104 km² em março de 2023, um crescimento de 767%.

“Os governos federal e dos estados precisam agir em conjunto para evitar que a devastação siga avançando, principalmente em áreas protegidas e florestas públicas não destinadas, alerta o pesquisador do Imazon Carlos Souza Jr. Ele cita como exemplo o caso crítico da APA Triunfo do Xingu (PA), que perdeu uma área equivalente a 500 campos de futebol apenas em março.