Array
Notícias

Sapo leva o nome de “cuca” em homenagem ao folclore brasileiro

Array
Sapo leva o nome de “cuca” em homenagem ao folclore brasileiro
Crédito: Matheus Oliveira Neves

Uma nova espécie de sapo, batizada de Dendrophryniscus cuca em homenagem ao folclore brasileiro, foi encontrada na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais. O sapinho, que é do tamanho de um polegar, vive dentro de bromélias em uma área de floresta nebular dentro da Reserva Nacional do Patrimônio Natural (RPPN) Chapadão Serra Negra.

Até o momento, a espécie foi encontrada em apenas uma única localidade, chamada de Jardim das Vrieseas, onde existem diversas espécies de bromélias. No local foram coletados 11 indivíduos, que estão sendo estudados. A última espécie do gênero descoberta no local foi há 30 anos, em 1993.

O gênero Dendrophryniscus é endêmico da Mata Atlântica brasileira, por isso não ocorre nenhum outro lugar do mundo. Habita florestas tropicais úmidas e está associado às bromélias. Os pesquisadores constataram que o sapo encontrado se tratava de uma nova espécie ao analisarem seu DNA e identificarem características morfológicas distintas das variedades já conhecidas.

“A nossa descrição também demonstra que a Serra Negra da Mantiqueira é um local importante na conservação dos anfíbios, já que algumas espécies, incluindo a que descrevemos, só ocorrem ali”, afirmou o pesquisador e professor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), Renato Nali. O artigo de catalogação do sapinho foi publicado em janeiro na revista científica Herpetologica.

O comportamento reprodutivo do sapo-cuca ainda é desconhecido. No entanto, sabe-se que os machos do gênero Dendrophryniscus normalmente produzem cantos de anúncio para atrair fêmeas para o acasalamento. O canto consiste em uma série de notas, com cada uma durando aproximadamente 60 milissegundos, separadas por intervalos de aproximadamente 200 milissegundos.

Curiosidades sobre os sapos-cuca:

  • O comprimento médio das fêmeas é de 26,4 milímetros dos machos é 23,7 milímetros.
  • Eles têm o focinho arredondado e olhos grandes.
  • Sua pele varia entre o verde e o amarelo brilhante. Alguns indivíduos têm manchas pretas ou marrons pelo corpo.
  • As fêmeas depositam seus ovos em terra, próximo às bromélias, onde os girinos se desenvolvem.

Notícias relacionadas:

Espécie de mini sapo é redescoberta após 100 anos

Sapos-arlequim estão entre os anfíbios mais ameaçados do planeta

Sapos fogem do calor e seca em espécie de hibernação