Array
Notícias

Engenheiro agrícola assume diretoria de unidades de conservação do IEF

Array
Engenheiro agrícola assume diretoria de unidades de conservação do IEF

O ano de 2018 começou com mudanças no Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). No dia 27 de janeiro, o Diário Oficial de Minas Gerais publicou a nomeação de Brício de Vasconcellos Souza Lima como novo diretor da Diretoria de Unidades de Conservação do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Brício substitui Henri Dubois Collet, que na mesma data foi designado para assumir a diretoria-geral do IEF.

De acordo com seu perfil profissional no LinkedIn, Brício é formado em engenharia pela Universidade Federal de Viçosa, sendo sua área de estudo a engenharia agrícola; e pós-graduado em Gestão Empresarial pelo Centro de Estudos Superiores de Catalão (CESUC). Brício tem uma longa carreira na Camargo Corrêa, onde, durante oito anos, exerceu diversos cargos: Coordenador Técnico, Gerente de Meio Ambiente e Interfaces & Interferências, Coordenador de Interferências e Coordenador de Sustentabilidade. Este último aparece como cargo atual, junto com a diretoria do IEF.

Atuou ainda como Superintendente de Relações Comunitárias e Consultor de Sustentabilidade da Alcoa por seis anos; Supervisor de Programas Socioambientais no Grupo de Empresas Associadas Serra do Facão (GEFAC) por dois anos; e Coordenador do Reflorestamento das APPs dos reservatórios das UHEs Risoleta Neves (MG) e Aimorés (MG/ES), pela Hollos Consultoria Sanitária e Ambiental LTDA. Por dois anos, Brício foi Assessor do Secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas (SETOP-MG); e já assumiu a Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente de Ponte Nova.

Para Dalce Ricas, superintendente da Amda, a nomeação parece política, mas considerando a inegável experiência do engenheiro na área ambiental, espera que ele fortaleça ações de proteção e criação de novas unidades de conservação no estado. “Em nossa opinião, a nomeação de diretores de unidades de conservação e proteção da biodiversidade no Estado deveria ser previamente submetida ao Copam, através da Câmara de Proteção da Biodiversidade. Mas esperamos que o novo diretor seja aliado das unidades de conservação”, diz.