Array
Notícias

Governo estuda gestão compartilhada do Parque Nacional da Serra da Capivara

Array
Governo estuda gestão compartilhada do Parque Nacional da Serra da Capivara
Parque Nacional Serra da Capivara / Crédito: Fumdham

Na tentativa de aliviar a crise financeira que afetou o Parque Nacional da Serra da Capivara, o governo estuda uma nova gestão compartilhada. Atualmente, a unidade de conservação é administrada pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio) e Fundação Museu do Homem Americano (Fundham). A gestão ganhará apoio do Governo do Piauí, BNDES e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A demanda por mais verba para a Serra da Capivara é antiga. No auge, o parque já contou com 250 funcionários alocados no local, mas a situação foi piorando ao longo dos anos e chegou ao limite em 2016, quando restaram apenas 36 terceirizados com salários atrasados.

A arqueóloga Niéde Guidon, da Fundham – responsável pela área de visitação do parque -, ameaçou deixar o país após cancelamento de repasse de verba à Fundação. Após uma remessa emergencial, o Ministério do Meio Ambiente vem costurando, desde então, um novo desenho de gestão compartilhada.

Segundo reportagem do portal O Eco, ainda não há definição das atribuições de cada órgão na gestão da unidade de conservação. A princípio, os apoiadores viabilizarão recursos extras, mas quem ficará a cargo da gestão ainda será o ICMBio e a Fundham. Um novo documento será acordado ainda entre os órgãos, que se reunirão em São Raimundo Nonato (PI) entre os dias 23 e 28 deste mês.

Parque

Criado em 1979 no sudeste do Piauí, o Parque Nacional (Parna) Serra da Capivara abriga um dos maiores sítios arqueológicos a céu aberto das Américas. Com 129.140 hectares, o Parna abrange áreas dos municípios de São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias. O parque é uma das últimas áreas do semiárido possuidoras de importante diversidade biológica, com espécies da fauna e flora específicas e pouco estudadas.

Em 1991, a Organização das Nações Unidas pela Educação, Ciência e Cultura (Unesco) declarou a unidade de conservação como Patrimônio Cultural da Humanidade. Mesmo com o título, governo e população parecem ainda não entender a importância do Parna. Durante uma década, o parque ficou abandonado, sofrendo com depredações, desmatamentos e redução da fauna e flora local. Atualmente, o parque luta para não fechar as portas.