Array
Notícias

Renovação de contrato garante recursos para o Parque Nacional da Serra da Capivara

Array
Renovação de contrato garante recursos para o Parque Nacional da Serra da Capivara
Parque Nacional da Serra da Capivara / Crédito: Fumdham

Após uma dura crise financeira que abalou o Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, a unidade de conservação encerra 2016 com esperança para o próximo ano. Nesta segunda-feira (19), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) renovou o termo de parceria com a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) para manutenção da gestão compartilhada da unidade de conservação.

A parceria prevê o repasse, em janeiro de 2017, de R$ 970 mil à Fumdham. Os recursos, oriundos de compensação ambiental, deverão ser aplicados em pesquisa, manutenção dos sítios arqueológicos e outras ações de gestão do parque nacional.

O termo de parceria havia sido suspenso no ano passado, o que vinha criando dificuldades para a unidade de conservação.

Entenda o caso

Um imbróglio jurídico ameaçava o parque de fechar as portas. O convênio entre União e Fumdham estava vencido desde novembro de 2015, o que impediu o repasse de recursos. Em agosto deste ano, depois que um juiz negou a liberação de verba sem a renovação do contrato, os funcionários chegaram a receber aviso prévio, pois não havia mais dinheiro para pagar salários nem para a manutenção mínima das condições de trabalho no parque.

Em novembro, Ministério do Meio Ambiente e outras instituições fizeram repasses de recursos, estabilizando a situação financeira temporariamente.

Parque nacional

Criado em 1979 no sudeste do Piauí, o Parque Nacional Serra da Capivara abriga um dos maiores sítios arqueológicos a céu aberto das Américas. Com 129.140 hectares, a unidade de conservação abrange áreas dos municípios de São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias. O parque é uma das últimas áreas do semiárido possuidoras de importante diversidade biológica, com espécies da fauna e flora específicas e pouco estudadas.

Relembre a entrevista com a arqueóloga Niède Guidon, diretora presidente da Fumdham e que há mais de 80 anos se dedica à conservação do parque.