Array
Notícias

Acordo global vai reduzir uso de HFCs

Array

Quase 200 países firmaram um acordo global para limitar o uso de gases de efeito estufa que são muito mais potentes do que o dióxido de carbono. Trata-se dos hidrofluorcarbonetos (HFCs), usados em aparelhos de ar condicionado e refrigeradores.

Os HFCs são descritos como o poluente cujo uso vem crescendo mais rapidamente no mundo. Eles foram introduzidos nos anos 1980 como um substituto de gases que destroem a camada de ozônio, mas os riscos aumentaram com o crescimento das vendas de aparelhos de ar condicionado e refrigeradores em países emergentes como China e Índia. De acordo com especialistas, reduzir o seu uso é o meio mais rápido para diminuir o aquecimento global.

Diferentemente do Acordo de Paris, este é legalmente obrigatório. Ele limita e reduz o uso de HFCs em um processo gradual que começa em 2019 com países desenvolvidos, incluindo os Estados Unidos. Mais de 100 países em desenvolvimento, como a China, o maior poluidor mundial, começam a adotar medidas em 2024, quando o consumo de HFCs deve atingir seu pico.

Um pequeno grupo de países que inclui Índia, Paquistão e alguns Estados do Golfo Pérsico pressionaram e conseguiram adiar o início das ações para 2028, alegando que suas economias precisam de mais tempo para crescer.

Segundo Durwood Zaelke, presidente do Instituto para Governança e Desenvolvimento Sustentável, esta é a “maior redução de temperatura já alcançada por um único acordo”.

O pacto corresponde a “interromper por mais de dois anos toda a emissão de dióxido de carbono de combustíveis fósseis no mundo”, disse em comunicado David Doniger, diretor do programa de clima e ar limpo no Conselho de Defesa de Recursos Naturais.

Com informações da Agência Estado