Array
Notícias

Cachorro-vinagre é visto em Minas Gerais

Array
Cachorro-vinagre é visto em Minas Gerais
Cachorro-vinagre / Crédito: Envolverde

Altamente ameaçado de extinção, o cachorro-vinagre (Speothos venaticus) foi identificado no Parque Estadual Veredas do Peruaçu, no norte de Minas Gerais, e, mais recentemente, o animal foi registrado no município de Paracatu, noroeste do Estado, no Parque Estadual de Paracatu, criado por compensação ambiental com a mineradora Kinross em área protegida pela mesma.

A notícia representa esperança de preservação da espécie e aponta para necessidade de ampliar a área do parque, que tem cerca de 5 mil hectares, enquanto o Peruaçu tem 30 mil. Monitoramento de fauna que está sendo feito pela empresa registrou presença do outas espécies importantes, como tatu-canastra (Priodontes maximus), tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), raposinha-do-campo (Lycalopex vetulus), lobo-guará (Chrysocyon brachyurus), onça-parda (Puma concolor), gato-mourisco (Puma yagouaroundi), jaguatirica (Leopardus pardalis), lontra (Lontra longicaudis), anta (Tapirus terrestris), veado-campeiro (Ozotocerus bezoarticus) e cateto (Pecari tajacu).

Para a superintendente da Amda, Dalce Ricas, a presença de tantas espécies ameaçadas mostra a riqueza de biodiversidade do local, mas também o risco que correm se a área protegida não for ampliada. “Provavelmente a ocorrência dessas espécies depende de outros ambientes ainda preservados em torno do parque. Se eles forem destruídos e ele ficar ilhado, seu fim será a extinção”, alerta.

Ameaças

Vários animais silvestres estão na lista de ameaçados de extinção por diversos fatores relacionados à ação humana. Caça, desmatamentos e a presença de animais domésticos, como cães, gatos e gado, são algumas dessas ameaças.

Osmar Ferreira, Supervisor de Meio Ambiente da Kinross, lembra que a presença de cães domésticos em todas as áreas estudadas de Paracatu é um grave problema que afeta os bichos, especialmente espécies como o cachorro-vinagre, a raposinha-do-campo e o lobo-guará. “Os cães podem se tornar ou já se tornaram ‘ferais’, o que quer dizer que eles passaram a possuir hábitos de animais silvestres, inclusive predando outros mamíferos silvestres”, complementa o biólogo.

Segundo Ferreira, uma alternativa para evitar o problema é o controle de animais domésticos, que pode ser feito com o simples gesto dos proprietários alimentarem e oferecerem abrigo adequado aos animais; ou a castração, para evitar superpopulação.

Cachorro-vinagre

Descrito pela primeira vez em 1842 por Peter Lund, naturalista tido como o pai da paleontologia no Brasil, o cachorro-vinagre é considerado uma das espécies mais raras da fauna brasileira. Tão rara que alguns especialistas consideram que dentro de 100 anos ele estará extinto no Cerrado. Os fatores determinantes para essa estimativa são a alta mortalidade causada por doenças e o abate feito por cães domésticos ou seres humanos.

Conheça mais sobre a espécie aqui.