Array
Notícias

Jogos Olímpicos do Rio terão refeições vegetarianas

Array
Jogos Olímpicos do Rio terão refeições vegetarianas
Crédito: iStock by Getty Images

Atletas, delegações e imprensa participantes dos Jogos Olímpicos 2016, que acontecerão em agosto no Rio de Janeiro, poderão se deliciar com refeições vegetarianas estritas – sem nenhum produto de origem animal. A opção foi garantida pelo Comitê Olímpico em reunião realizada com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e outras ONGs que participaram da iniciativa “Rio Alimentação Sustentável”, que tem como objetivo apoiar o Comitê na viabilização de refeições saudáveis e sustentáveis no evento.

Segundo levantamento realizado pela SVB, 24% das refeições consumidas por atletas e visitantes nos Jogos Olímpicos serão vegetarianas se houver oferta apropriada à esta demanda. A estimativa foi calculada somando a porcentagem de refeições vegetarianas consumidas por onívoros (17% – dados do Instituto Harris Interactive, dos EUA) e porcentual de vegetarianos visitantes dos jogos (7%), calculada a partir da proporção média de visitantes de cada país (dados do Anuário Estatístico de Turismo 2015), multiplicada pela proporção de vegetarianos dos respectivos países.

Além da alimentação dos atletas, a SVB está empenhada em garantir, junto ao Comitê Olímpico, que o público em geral também tenha alternativas vegetarianas. “Queremos garantir a oferta apropriada de opções alimentares para este público, que representa uma parcela substancial da população de brasileiros e estrangeiros”, disse o secretário executivo da SVB, Guilherme Carvalho. De acordo com o Comitê, existirão 86 pontos de venda de comida cadastrados – o número não inclui vendedores ambulantes.

“A substituição de alimentos de origem animal por alternativas vegetais tem contribuição decisiva na preservação de recursos naturais e mitigação das principais crises ambientais atuais”, afirmou Cynthia Schuck, coordenadora do Departamento de Meio Ambiente da SVB. Atualmente, mais de 75% das terras agrícolas do planeta são usadas para pastagem ou produção de ração. No Brasil, para cada R$ 1 milhão da receita da pecuária bovina, são gerados R$ 22 milhões de prejuízos com impactos ambientais.

Adoção

Além de se preocupar com a saúde dos atletas, os Jogos Olímpicos deste ano podem deixar também um legado de amor aos animais abandonados. A prefeitura do Rio e o Comitê Organizador dos jogos lançaram, no mês passado, o projeto #AbraceUmAmigo: uma campanha de adoção de animais domésticos abandonados encontrados nos arredores das instalações olímpicas.

O primeiro animal apresentado ao público foi Zeca, um cachorro vira-lata de três anos e meio, que pesa entre oito e dez quilos, que foi encontrado no Centro de Hipismo em Deodoro, próximo ao Complexo Esportivo. Zeca foi resgatado por funcionários da Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (SEPDA) que trabalhavam no local e encaminhado para a Fazenda Modelo, em Guaratiba.

Na fazenda, com mais de 13 mil metros quadrados, os animais são cuidados com medicamentos, vacinas, alimentação balanceada e banhos de sol. Entre os serviços prestados no local estão esterilização, atendimento clínico, exames de sangue e cirurgias diversas. O local funciona desde 2008, tratando em período de quarentena os animais recebidos, em sua maioria vítimas de maus-tratos e abandono. Ao receberem alta, eles são levados na campanha itinerante “Adotar é o Bicho!” e também ficam disponíveis para adoção no Centro de Proteção Animal.

O projeto #AbraceUmAmigo é parceiro do projeto “Adotar é o Bicho”, da SEPDA, e terá duração até outubro, após o término dos Jogos Paralímpicos, resgatando, tratando e colocando para adoção animais – cachorros, gatos e até cavalos e vacas – encontrados no entorno das instalações olímpicas.

Zeca, o primeiro cachorrinho olímpico, já foi adotado. Mas a fazenda abriga cães e gatos à espera de um novo lar. Nesta quarta-feira (13), a SEPDA informou que uma equipe estava a caminho para resgatar uma gata com seis filhotes. Para adotar é preciso ter em mãos CPF, identidade e comprovante de residência e entrar em contato com a SEPDA pelo telefone (21) 2976-2932 ou dirigindo-se diretamente à Fazenda Modelo, na Estrada do Mato Alto, 5620 (ao lado do Posto de Saúde Maia Bittencourt), em Guaratiba.