Array
Notícias

Minas Gerais terá maior usina solar da América Latina

Array
Minas Gerais terá maior usina solar da América Latina
Crédito: Google imagens

A cidade de Pirapora, no Norte de Minas Gerais, é o local escolhido para implantação da maior usina de geração de energia fotovoltaica (solar) da América Latina. Com investimento da ordem de R$ 1,6 bilhão, as obras deverão começar em junho. O projeto é da espanhola Solatio Energia em parceria com a Canadian Solar, que fornecerá os painéis solares.

A usina do Consórcio Solatio/Canadian Solar vai ocupar uma área de 650 hectares, localizada na Fazenda Marambaia, a sete quilômetros da área urbana. A fazenda pertence a um grupo empresarial, que arrendou o terreno para a Solatio Energia por 20 anos.

A expectativa é de que a megausina de energia fotovoltaica entre em funcionamento em agosto de 2017, quando deverá iniciar o fornecimento de 150MW para o Sistema Interligado Nacional de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. O cronograma prevê que, em novembro de 2017, a unidade passará a fornecer para o sistema nacional mais 90MW, alcançando uma geração de 240MW.

Em agosto do ano passado, a Solatio Energia venceu leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para fornecimento de energia. Posteriormente, a empresa espanhola assinou os contratos com a Aneel estipulando os prazos para o início do fornecimento da energia limpa.

Atualmente, a companhia responde por 31% do mercado brasileiro de energia solar. O presidente da Solatio, Pedro Vaquer, disse que o objetivo da empresa é aumentar sua capacidade de produção, devendo ampliar ainda mais a unidade de Pirapora. Para isso, a empresa pretende participar dos novos leilões do governo federal, promovidos pela Aneel, para a geração de energia solar.

O prefeito de Pirapora, Heliomar Valle da Silveira (PSB), o Léo Silveira, destaca que a instalação da usina de energia fotovoltaica terá grande impacto na economia do município, com aumento da arrecadação a partir do recebimento de royalties. “Mas não podemos olhar somente o ganho financeiro para a prefeitura. O empreendimento terá uma repercussão econômica, social e ambiental para toda a região”, afirmou Silveira.