Array
Notícias

Aumento do nível do mar pode afetar até 760 milhões de pessoas

Array
Aumento do nível do mar pode afetar até 760 milhões de pessoas
Brasil tem 16 milhões de habitantes em áreas ameaçadas pela elevação do nível do mar | Crédito: iStock by Getty Images

Relatório produzido pela organização internacional Climate Central mostra que um aumento de 4°C na temperatura global seria suficiente para submergir até 760 milhões de pessoas. Segundo o estudo, esses impactos podem ser reduzidos drasticamente se o mundo conseguir frear o aquecimento em 2°C.

Para avaliar as implicações para todas as nações e cidades costeiras, a pesquisa utilizou relações entre o aquecimento causado pelas emissões de carbono, o nível de elevação no mar que essas emissões causam no longo prazo e dados globais da população.

O relatório aponta que a China é a nação em maior risco, com 145 milhões de pessoas vivendo em áreas ameaçadas pela elevação dos mares se os níveis de emissões não forem reduzidos. O Brasil tem 16 milhões de habitantes em áreas ameaçadas pela elevação do nível do mar causada pelo aquecimento global de 4°C. Se a média for reduzida para 2°C, o número de pessoas ameaçadas cai para 9 milhões.

“Os riscos globais das mudanças climáticas são claros quando falamos do aumento do nível do mar. O resultado das negociações climáticas em Paris pode nos levar à perda de inúmeras grandes cidades e monumentos costeiros em todo o mundo, à migração sem fim e à desestabilização, ou pode nos direcionar para uma maior preservação de nossa herança global e para um futuro mais estável”, disse Strauss, PhD, vice-presidente de Impactos Climáticos no Climate Central e principal autor do relatório.

O Climate Central desenvolveu, junto com o relatório, um mapa global interativo chamado Escolhas Climáticas, ou Climate Choices. Os usuários podem digitar o nome de qualquer cidade costeira ou código postal em todo o mundo e comparar as potenciais consequências de diferentes cenários de aquecimento ou de emissões em uma base local.