Array
Notícias

Água do mar é utilizada nas descargas de Hong Kong

Array

Oitenta por cento dos 7,2 milhões de habitantes de Hong Kong utilizam água salgada para dar descarga. Segundo a ONG britânica Waterwise, o uso sanitário representa cerca de 30% do consumo doméstico de água e até 70% do uso em edifícios comerciais.

A prática começou em 1958, quando a ilha já se deparava com a perspectiva de falta d’água. Hong Kong não possui reservas hídricas subterrâneas expressivas em seu solo rochoso e as chuvas atendem a apenas um quarto da demanda. O restante é importado da China por meio de dutos submarinos ou trazido do mar.

Segundo o órgão responsável pelo abastecimento da ilha, o “uso extensivo de água do mar tem ajudado a reduzir a demanda por água potável em descargas”. Em 2014, uma média de 762,5 mil metros cúbicos por dia foram usados com este propósito, o suficiente para encher 305 piscinas olímpicas.

Cerca de 5,75 milhões de pessoas usam atualmente água do mar na descarga. Para isso, a ilha possui uma infraestrutura composta por 35 estações de transmissão e 1,5 mil quilômetros de tubulações. A intenção do governo é atender 85% da população deste forma ainda em 2015.

No processo, a água é filtrada para retirar grandes partículas de impurezas. Depois, é desinfetada com cloro ou hipoclorito de sódio antes de ser levada a reservatórios, de onde é distribuída à população. Após o uso, a água salgada é descartada na rede de esgoto usada para a água doce. Cerca de 25% do esgoto em Hong Kong é composto por água do mar.

“Usar água do mar em descargas economiza não só água, mas também energia. Requer a metade da energia usada na produção de água potável, dez vezes menos do que no tratamento de água de esgoto e cem vezes menos do que o processo de dessalinização”, informa Chen Guanghao, professor da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong, em artigo sobre este sistema para o The Standard, diário em inglês de Hong Kong.

Com informações da BBC Brasil