Array
Notícias

Soldados escoltam últimos seis rinocerontes brancos do mundo

Array
Soldados escoltam últimos seis rinocerontes brancos do mundo
Rinocerontes brancos são protegidos por soldados / Crédito: Reprodução/Brent Stirton

Os últimos seis rinocerontes brancos do mundo estão sob proteção de soldados armados da Fundação Internacional Contra Caça Furtiva (IAPF, na sigla em inglês). O comércio ilegal de chifres vem dizimando a população da espécie: em apenas 50 anos, a população do animal reduziu 96%.

O tráfico ilegal de marfim é comparável ao tráfico ilegal de armas ou ao tráfico de drogas. Entre 2008 e 2011, estima-se que 776 rinocerontes tenham sido atacados e assassinados na África do Sul. A maior parte dos chifres é oriunda da África, onde as penalidades para o crime são insignificantes.

Atualmente, o comércio ilegal continua lucrando cerca de meio bilhão de dólares a cada ano. Além das matanças por causa dos chifres, muitas pessoas se aproveitam do animal para empalhar a cabeça ou vender em casas de leilão.

“Alguém tem que mudar o pensamento dessas pessoas. Eles têm que perceber que estão empobrecendo outros países”, disse Fitzjohn, um ativista dos direitos dos rinocerontes. Ele lembra que os chineses, um dos principais compradores de chifres, são extremamente orgulhosos de suas espécies emblemáticas, como o panda. Matar este animal na China pode resultar em 20 anos de prisão.

Os soldados da IAPF são treinados pelo australiano Damien Mander, que era soldado especial do Exército. Ele ensina técnicas anti-caça, monitoramento, autodefesa, pontos de observação, uso de armas e técnicas de patrulha.

Estudantes de São Paulo criaram uma petição online para defender a proibição do comércio de quaisquer objetos oriundos de marfim no Brasil. Mais de 5.800 pessoas já aderiram à campanha. Proteja o rinoceronte! Assine a petição e compartilhe.