Array
Notícias

Radar Ambiental: O dia que o planeta azul entra no vermelho

Array
Radar Ambiental: O dia que o planeta azul entra no vermelho
Crédito ilustração: WWWF

A cota de recursos naturais que a natureza poderia oferecer em 2014 se esgotou ontem (19). Em menos de oito meses completos, o planeta chegou ao Dia da Sobrecarga (em inglês, Overshoot Day). A data é um marco anual de quando o consumo humano ultrapassa a capacidade de renovação do planeta. O cálculo é da Global Footprint Network (Rede Global da Pegada Ecológica), organização não governamental (ONG) parceira da rede WWF.

A WWF alerta que os resultados da conta são desmatamento, escassez de água doce, erosão do solo, perda de biodiversidade e o aumento de CO² na atmosfera e, com isso, mais prejuízos humanos e econômicos. Secretária-geral da entidade no Brasil, Maria Cecília Wey de Brito defende que o país tem potencial para reverter a situação, mas teria de mudar a postura.

“Pela extensão territorial e por estamos nos trópicos, o Brasil tem uma posição vantajosa porque tem tempo e condições de olhar para os outros países e fazer as coisas de forma diferente, como melhorar a matriz energética usando mais a eólica e a solar e não poluir os rios”, comenta.

Para Maria Cecília, o país tem biocapacidade para promover tal mudança. “A técnica existe, o conhecimento e o recurso existem, mas o Estado prefere usá-los em setores que acredita ser mais importantes do que colocar água de qualidade para as pessoas beberem e garantir a produção de alimentos”, comparou a secretária da WWF.

Maria Cecília afirma que o Brasil desperdiça o potencial que tem para produzir energias alternativas e investe em modelos ultrapassados. “Estamos colocando nossa prioridade no pré-sal, apostando em uma energia do século passado, enquanto temos lugares remotos que poderiam sobreviver de outros tipos de energia”, completa a ambientalista.

*Com informações do Correio Braziliense.