Array
Notícias

Greenpeace acusa empresa P&G de apoiar desmatamento na Indonésia

Array
Greenpeace acusa empresa P&G de apoiar desmatamento na Indonésia
Imagem feita em 24 de fevereiro durante sobrevoo na região da ilha de Bornéu mostra desmatamento em área concedida a empresa fabricante de óleo de palma / Crédito: Bay Ismoyo/AFP

O Greenpeace acusou a multinacional Procter & Gamble (P&G) de utilizar óleo de palma vindo de plantações responsáveis pelo desmatamento na Indonésia. A organização aponta que a substância entra na composição de produtos da empresa, como os xampus Head & Shoulders e Pantene, além do creme de barbear Gillette.

Em nota, a P&G informou que não teve acesso ao estudo e alegou ser uma “companhia comprometida com o abastecimento sustentável do óleo de palma”. “Temos estabelecida a meta de garantir que 100% de todas as compras de óleo de palma provenham de fontes sustentáveis e estamos trabalhando prioritariamente com nossos fornecedores para garantir o cumprimento deste compromisso até 2015”, pontuou a empresa.

A multinacional pontuou ainda na nota que “se opõe firmemente às práticas de desmatamento irresponsáveis e encara qualquer denúncia relacionada a nossos fornecedores de forma séria e criteriosa, assim, investigamos detalhadamente todas as possíveis acusações”.

O Greenpeace tem criticado várias multinacionais por não considerarem o desmatamento na Indonésia em função da produção de óleo de palma, necessário para seus produtos. Um fotógrafo da Agence France-Presse comprovou o atual processo de desmatamento nas terras de abastecedores da P&G na parte indonésia da ilha de Bornéu.

Segundo a Organização Mundial de Conservação da Natureza (WWF), a ilha de Bornéu perdeu mais da metade da selva que cobria mais de 90% de sua superfície há décadas. Ainda de acordo com a ONG, a Indonésia planeja aumentar em mais de 60% a produção de óleo de palma até 2020.