Array
Notícias

Ilhas do Rio de Janeiro recebem ecopontos para coleta de óleo residual de fritura

Array

As ilhas da Gigóia e Primeira, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, ganharam pontos de coleta de óleo residual de fritura. A iniciativa é uma parceria entre a ONG Lagoa Viva e o Consórcio Construtor Rio Barra, responsável pelas obras da Linha 4 do Metrô (Barra-Ipanema). Além de contribuir para evitar o despejo de óleo na lagoa, a novidade destinará o produto à reciclagem.

A ilha da Gigóia, onde há pelo menos mil domicílios e cerca de 4 mil moradores, além dos restaurantes, recebeu dois pontos de coleta. Já na ilha Primeira, com 300 residências, houve instalação de um ponto. Os ecopontos têm capacidade para mil litros e foram instalados em locais de fácil acesso, permitindo que os próprios moradores levem o óleo armazenado em garrafas pet para despejar nesses recipientes. Um voluntário vai recolher o óleo para reciclagem em estabelecimentos comerciais.

Quando os recipientes estiverem cheios, eles serão substituídos e o material coletado será encaminhado a empresas devidamente credenciadas nos órgãos competentes para reciclagem.

Segundo o presidente da ONG Lagoa Viva, Donato Velloso, a expectativa do projeto é coletar e reciclar, nas duas ilhas, cerca de 10 mil litros de óleo vegetal neste ano. De acordo com a organização, cada litro de óleo descartado nos rios e lagoas polui cerca de 1 milhão de litros de água. “Quando eliminam o óleo diretamente no ralo da pia, no lixo ou no solo, ele chega às lagoas e rios e não se desfaz na superfície da água, impactando na respiração dos peixes e na entrada de luz no ambiente aquático”, disse.

Nos próximos meses a organização pretende realizar uma ação de mobilização dos moradores e administradores de restaurantes das duas ilhas, onde serão apresentadas palestras de conscientização com distribuição de panfletos e a instalação de mais ecopontos à beira das lagoas da Barra.