Array
Notícias

Operação na Bahia fiscaliza uso ilegal de madeira da Mata Atlântica para produção de artefatos

Array
Operação na Bahia fiscaliza uso ilegal de madeira da Mata Atlântica para produção de artefatos
Operação na Bahia fiscaliza uso ilegal de madeira da Mata Atlântica para produção de artefatos / Crédito: Divulgação

Uma operação para averiguar e coibir o uso ilegal de madeiras nativas da Mata Atlântica foi realizada, no último dia 22, no Extremo Sul da Bahia, no povoado de Montinho, em Itabela. Participaram da ação representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Polícia Militar Ambiental (CIPPA-BA).

Em dois locais, foram apreendidos lixadeira, cavadores de colher, torno, motores de torno, serras, madeira in natura (toretes), mais de mil colheres, cerca de 500 pilões, gamelas, farinheiras e pratos de madeira, peças principalmente de parajú e sapucaia. As atividades foram embargadas.

Segundo o ICMBio, a produção e comercialização de artefatos de madeira com essências nativas da Mata Atlântica no local é amplamente conhecida e diversos artefatos são produzidos de forma irregular. O eucalipto é utilizado na região como alternativa legal ao uso de essências nativas, mas ainda representa pequena parte da produção, informa o ICMBio.

Essa produção também ocorre em outras localidades da região e a madeira irregular provém dos remanescentes florestais, principalmente do Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal, Unidade de Conservação (UC) federal gerida pelo ICMBio, e envolve, inclusive, a população indígena que reside nas aldeias e fora delas %u2013 fato confirmado pelos moradores de Montinho durante a fiscalização.

Uma reunião entre ICMBio, Ibama e moradores de Montinho ficou agendada para discutir sobre a produção de artefatos de madeira, na Câmara de Vereadores de Itabela.