Array
Notícias

Consumo de barbatanas de tubarão é responsável pela morte de 15 mil golfinhos por ano no Peru

Array
Consumo de barbatanas de tubarão é responsável pela morte de 15 mil golfinhos por ano no Peru
Consumo de barbatanas de tubarão é responsável pela morte de 15 mil golfinhos por ano no Peru / Crédito: MMA

Quinze mil golfinhos são mortos por ano no Peru para alimentar a exportação de barbatanas de tubarão para a Ásia, consideradas afrodisíacas. Os golfinhos são utilizados como isca para caçar os grandes predadores. Segundo Paul Phompiu, vice ministro de Pesca do Ministério da Produção, a exportação da barbatana de tubarão aumentou 10% nos últimos anos. Os principais destinos do produto são Japão, Hong Kong, Cingapura e outros países asiáticos.

Phompiu explicou que existe uma autorização para exportar a barbatana do peixe, mas que a maior extração é feita por pescadores ilegais, que realizam uma “atividade criminosa”, que é preciso perseguir e punir. “Estamos indignados com esta situação; o Peru condena a pesca ilegal de golfinhos e tubarões porque são espécies protegidas”, destacou.

Atualmente existem 72 embarcações registradas oficialmente para a pesca do tubarão, algumas artesanais e outras industriais, segundo Phompiu. Não há números oficiais sobre embarcações ilegais.

Phoumpiu informou que foi criado o Plano Nacional de Ação para os Tubarões, cujo objetivo é agir de “forma firme” a fim de sancionar os infratores. Entre as medidas adotadas estão a restrição temporária da pesca e da comercialização do tubarão, por ser considerada o principal incentivo para a pesca indiscriminada de golfinhos. O plano de ação propõe também a realização de um estudo científico, a cargo do Instituto do Mar do Peru, para determinar as zonas onde são praticadas a pesca indiscriminada de golfinhos e tubarões, as características da frota pesqueira e as áreas de reprodução que devem ser intangíveis.

Documentário

A Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda) divulgou em seu portal a experiência do jornalista Jim Wickens, que acompanhou uma equipe de caçadores de golfinhos na costa do Peru. Ele conseguiu presenciar toda a matança através de um financiamento pelo Centro Pulitzer para Relatórios de Crise. Confira o relato do jornalista.