Array
Notícias

Minas sedia encontro internacional para conservação de florestas

Array

Nos dias 08 e 09 de junho, Minas Gerais receberá representantes de 14 países das três Américas, Caribe, África e Europa nos no Seminário Iberoamericano ‘Conhecendo Florestas Modelo’. No evento, promovido pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) por meio do Instituto Estadual de Florestas (IEF), serão apresentados os resultados que vem sendo obtidos em diversos países do mundo na promoção da utilização sustentável e conservação dos recursos florestais.

O evento reunirá em São Lourenço, Sul de Minas, integrantes das Redes Internacional e Iberoamericana de Florestas Modelo, conceito que tem a finalidade de promover a conservação e a utilização sustentável dos recursos florestais e ecossistemas associados, incentivando as comunidades locais ao uso integral destes recursos, através de associações, que desenvolvam atividades produtivas, educativas e de pesquisa.

A abertura do evento acontecerá no dia 08 às 9 horas no Hotel Central Parque de São Lourenço (rua Mello Viana, 28, Centro) e terá a presença do secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlo Carvalho e do diretor-geral do IEF, Shelley Souza Carneiro.

O conceito de florestas modelo surgiu no Canadá e, atualmente, existem 55 florestas modelo em todo o mundo em 23 países. Minas Gerais possui as duas únicas florestas modelo do Brasil: da Mata Atlântica e de Pandeiros (Áreas de Preservação Ambiental do Rio Pandeiros, Coxa e Gibão, no município de Januária). As áreas foram reconhecidas pela Rede Iberoamericana em 2005.

No projeto de florestas modelos, moradores locais são estimulados a participar de cursos de treinamento em atividades relacionadas ao meio ambiente para aprimoramento e capacitação nas áreas de ecoturismo, fabricação de mobiliário, apicultura, criação de animais silvestres e artesanato.

A Floresta Modelo da Mata Atlântica teve seu núcleo na Floresta Estadual de Uaimií, no município de Ouro Preto, mas está sendo expandido para outras regiões do Estado onde há ocorrência do bioma. Na região de Pandeiros, norte de Minas, há incentivo para o desenvolvimento da agricultura, da pecuária de pequeno porte e formação de florestas sociais de produção para gerar alternativas de trabalho e renda para a população local, reduzindo a demanda por madeira para uso nas propriedades e para produção de carvão.