Array
Notícias

Conselho Consultivo das Unidades de Conservação do Jaíba toma posse

Array

Tomou posse nesta quarta-feira (28), o Conselho Consultivo das Unidades de Conservação (UC) do Sistema de Áreas Protegidas do Jaíba, composto pela Reserva Biológica do Jaíba (RBJ), Reserva Biológica de Serra Azul (RBSA), Parque Estadual Lagoa do Cajueiro (PELC), Parque Estadual do Verde Grande (PEVG), Parque Estadual da Mata Seca (PEMS), APA Serra do Sabonetal e APA do Lagedão. A solenidade foi realizada pela manhã no Hotel Projeto Jaíba, no distrito de Mocambinho.

A criação do conselho único justifica-se pelo fato de que as UCs estejam vinculadas aos mesmos municípios – Jaíba, Itacarambi, Matias Cardoso, Manga e Pedras de Maria da Cruz, todos no norte do Estado –, sendo o conselho único, portanto, representativo de todas as unidades. Dessa forma, os gerentes de cada delas irão se revezar no cargo de presidente do conselho, de acordo com o assunto em questão e a unidade com a qual ele se relaciona. Cristiana Batista, da RBJ e do PEVG, Neilton Viana, do PELC e da APA do Lagedão, Paulo Fernandes, da RBSA e da APA Serra do Sabonetal e José Luis Vieira, do PEMS serão os gerentes responsáveis pela função.

De acordo com o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), os demais membros do conselho devem ser representantes da sociedade e dos órgãos públicos federais, estaduais e municipais, com representação paritária entre o poder público e a sociedade civil. Cada UC deve ter ainda seu próprio órgão consultivo independente, presidido pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Para a gerente Cristiana Batista, o conselho “vai ampliar a conscientização das pessoas da região. Com isso, poderemos ensinar mais sobre o ecossistema, os biomas e garantir sua preservação em trabalho conjunto com a comunidade”. Entre as atribuições do conselho estão contribuir para a administração do Parque; opinar sobre a elaboração do plano diretor, sugerindo diretrizes para compatibilizar as funções de proteção dos ambientes naturais do Parque aos diversos usos possíveis e acompanhar a execução do plano diretor, bem como sugerir as modificações que nele se fizerem necessárias, a partir da implantação e funcionamento do Parque.

* Com informações do Instituto Estadual de Florestas (IEF)