Array
Notícias

Nascentes do Norte de Minas sofrem com exploração de areia

Array

Nascentes importantes do Estado, situadas na Serra Vermelha, zona rural de Montes Claros, estão ameaçadas devido a exploração desenfreada de areia. É o que mostram estudos técnicos realizados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e apresentados recentemente ao Conselho de Política Ambiental do Norte de Minas (Copam-Norte).

Os estudos revelam que a extração de areia de barranco na região, além de estar comprometendo os leitos e nascentes dos rios, ainda compromete a qualidade de construções, cujas obras recebem essa areia. De acordo com o técnico do Ibama responsável pela pesquisa, Vitor Vieira Vasconcelos, o material causa fissuras na parede, obrigando a realização de reparos.

Segundo o Ibama, são 30 caminhões que saem carregados, todos os dias, da região. "O quadro que apresenta hoje é alarmante, pois Serra Vermelha passou a ser uma área de alta sensibilidade ambiental. Ali esta sendo a principal caixa d´água da Bacia do Verde Grande, que está na Bacia do São Francisco. Além da degradação provocar o assoreamento, a areia que fica corre direto para as nascentes, disse Vasconcelos ao jornal Hoje em Dia. Além da nascente do Verde Grande, o estudo destaca as nascentes dos rios Guavinipan, Pacui, Peixe e São Lamberto.

Principal área de conflito na região

No ano de 2003, o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Montes Claros determinou uma espécie de "moratória", sem conceder nenhuma licença de extração de areia. Muitas empresas, porém, se beneficiaram de liminares judiciais e continuam operando. Um seminário foi marcado para essa quarta-feira. O objetivo é discutir os impactos ambientais causados na região. O encontro será promovido pelo Ministério Público Estadual e deverá contar com a presença de secretários municipais de meio ambiente e membros do Comitê de Política Ambiental (Copam) do norte do Estado.

*Com informações do Hoje em Dia