Array
Notícias

Amda celebra Dia Mundial do Meio Ambiente com programação especial

Array
Amda celebra Dia Mundial do Meio Ambiente com programação especial
Exposição biomas brasileiros na praça da Liberdade integrou as atividades da Amda em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente / Crédito: Marina Bhering / Amda

Para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, a Amda promoveu uma série de eventos para fomentar a reflexão da sociedade acerca da importância da conservação das poucas áreas verdes que ainda restam no país e também da proteção aos animais.

A Semana Mundial do Meio Ambiente começou no dia 3. Cerca de 80 pássaros vítimas do tráfico ganharam novamente liberdade e retornaram ao seu habitat. Os animais foram apreendidos pelo Ibama ou Polícia Militar de Meio Ambiente (PMMA) e levados ao projeto Área de Soltura de Aves Silvestres (Asas), que a entidade mantém. O projeto foi criado pelo Ibama para permitir parcerias com pessoas físicas e entidades que queiram colaborar na luta contra o tráfico de aves e animais silvestres de forma geral.

Alunos da Escola Municipal Padre Xisto participaram do evento e auxiliaram na soltura de algumas das aves, como canários-da-terra, trinca-ferros, periquito rei, maritacas, periquitinhos, sabiás e coleirinhos. Além das crianças, o evento contou com a presença do Major Trant, da PMMA; Sônia Cordebelle, da Diretoria de Proteção à Fauna do Instituto Estadual de Florestas (IEF); representantes de ONGs e empresas parceiras do projeto, como Vale; Arcelor Mittal; e a comunidade. Assista o vídeo da soltura aqui.

Nos dias 6 e 7, a praça da Liberdade recebeu o novo projeto da Amda: Educação Ambiental na Praça. O evento contou com uma exposição de paineis sobre os biomas brasileiros, especificamente Mata Atlântica e Cerrado, que ocorrem em Minas Gerais. Os paineis também continham informações sobre as unidades de conservação brasileiras e dicas do que a sociedade pode fazer para proteger o meio ambiente. O evento contou ainda com a exposição de um manequim, que apresentava toda a vestimenta e equipamentos utilizados por um brigadista para combater incêndios florestais, que anualmente destroem centenas de áreas verdes.

Quem passou pelo estande da Amda teve também a oportunidade de apoiar a campanha Mar de Lama Nunca Mais, resultado da atuação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) no caso do rompimento da barragem de Fundão, propriedade da mineradora Samarco, em novembro de 2015. A proposta consiste em assegurar que Minas Gerais conte com uma que lei que resulte na efetiva segurança das barragens destinadas à disposição final ou temporária de rejeitos de mineração. A iniciativa é uma parceria do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Cultural, Urbanismo e Habitação (Caoma) do MPMG com a Associação Mineira do Ministério Público. Até o momento, mais de 27 mil pessoas já assinaram a campanha. Após a coleta de um volume considerável de assinaturas, o projeto será encaminhado para votação dos deputados na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

A Terça Ambiental de junho também foi dedicada ao Dia Mundial do Meio Ambiente. Com o tema Jornalismo a Serviço do Meio Ambiente, o palestrante foi Hiram Firmino, idealizador do Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade e Amor à Natureza, jornalista, editor e publisher da revista Ecológico. O evento contou também com a participação de Ruth Soares, jornalista e apresentadora da TV Câmara e Rede Minas. Hiram relatou sua trajetória no jornalismo ambiental, que teve como pontapé inicial a criação do primeiro caderno de meio ambiente do jornal Estado de Minas. Ruth contou um pouco da rotina das redações e como o tema é abordado pelos próprios jornalistas, que por diversas vezes não dão a devida importância ao assunto.

Para encerrar as atividades da Semana Mundial do Meio Ambiente, a Amda participou, no dia 8, de uma manifestação contra loteamentos irregulares que ameaçam o Parque Estadual da Serra do Rola Moça. O ato teve como objetivo chamar atenção da sociedade e do governo do Estado para as ameaças que a unidade de conservação vem sofrendo em sua área de amortecimento, principalmente devido à expansão urbana desordenada e atividades mineradoras desenvolvidas sem os necessários cuidados ambientais e incêndios florestais anualmente recorrentes. A ação foi realizada em parceria com horticultores da região de Ibirité, e contou com apoio de diversas instituições e cerca de 300 alunos das escolas estaduais Juscelino Kubitchek de Oliveira e Yolanda Martins.