Array
Notícias

Grandes eventos realizados em São Paulo deverão compensar emissão de gases do efeito estufa

Array
Grandes eventos realizados em São Paulo deverão compensar emissão de gases do efeito estufa
Evento São Paulo Fashion Week de 2008 emitiu 763

Os responsáveis por grandes eventos realizados na cidade de São Paulo poderão ser obrigados a compensar a emissão de gases de efeito estufa. O projeto é da Iniciativa Verde, com apoio das organizações Fundação SOS Mata Atlântica, Associação Águas Claras do Rio Pinheiros e Imaflora.

A proposta é ampliar os efeitos da Portaria SVMA 06, de 2007, que define esta exigência para eventos realizados em Parques Municipais. O projeto abrange ações consideradas de grande porte, que necessitem de Alvará de Funcionamento e que reúnam mais de 1.000 pessoas, com ou sem cobrança de ingressos, em imóveis públicos ou privados, terrenos vagos não edificados e logradouros públicos. A portaria estabelece ainda que a compensação das emissões deve ser feita por meio do plantio de árvores.

Desde que a portaria entrou em vigor, a Iniciativa Verde já plantou aproximadamente 40 mil árvores (24 hectares) e compensou as emissões de 7 mil toneladas de dióxido de carbono equivalente causadas por eventos ocorridos dentro do parque Ibirapuera. O projeto apresenta alguns exemplos de eventos realizados no local nos últimos anos, com suas respectivas emissões estimadas e a quantidade de árvores plantadas como compensação. O São Paulo Fashion Week de 2008 emitiu 763,32 tCO2 equivalente, sendo necessário o plantio de 4.821 mudas.

Para o presidente da Iniciativa Verde, Roberto Resende, a ideia central da lei é bastante simples e de fácil execução. “Primeiro obriga que os responsáveis por grandes eventos na cidade de São Paulo façam o inventário das suas emissões de gases de efeito estufa, ou seja, calcular quanto de gás carbônico e outras gases que causam o efeito estufa são emitidos para atmosfera por causa desta atividade. Após isso deve ser feita compensação pelo plantio de árvores nativas, em projetos de arborização urbana ou reflorestamento de mananciais de interesse da cidade”, explicou.

Segundo ele, “além de ajudar a captar recursos para financiar o plantio de árvores, esta lei deve ajudar na conscientização do público dos eventos, dos organizadores e da população em geral quanto à questão das mudanças climáticas, da proteção dos mananciais e da conservação ambiental”.

A proposta foi entregue à Frente Parlamentar da Sustentabilidade na Câmara Municipal. Após avaliação, o projeto será encaminhado para as comissões da Câmara Municipal.