Array
Notícias

Pique de energia causa morte de cerca de 100 mil codornas em Minas Gerais

Array
Pique de energia causa morte de cerca de 100 mil codornas em Minas Gerais
Crédito: reprodução Granja Loureiro

Piques de energia afetaram o sistema de climatização de uma granja e provocaram a morte de cerca de 100 mil codornas. De acordo com o veterinário da empresa, os animais morreram asfixiados. O caso aconteceu na última quinta-feira (13) na Granja Loureiro, localizada na zona rural de Perdões, em Minas Gerais.

Segundo o diretor de produção da empresa, Sérgio Gomide, a oscilação de energia desarmou os três disjuntores entre a 1h e 6h, o que provocou um aumento da temperatura em um dos galpões fechados e a falta de climatização, o que prejudicou a respiração das aves. “Quando os funcionários chegaram para trabalhar, por volta das 6h30, constataram que o calor passava dos 40 graus (dentro do galpão). E mais de 50% das codornas que estavam no andar de cima já estavam mortas”, disse Gomide. Normalmente, o sistema climatizado mantém a temperatura em 22 graus para dar conforto às aves. Depois de muito tempo sem ele, os animais não conseguem sobreviver.

“Se fosse queda de energia, não teríamos problema, já que temos gerador. Por isso, fizemos um boletim de ocorrência e pediremos ressarcimento à Cemig. Nosso prejuízo é superior a R$ 300 mil”, reclamou Gomide. A Cemig alega que os piques podem acontecer, mas que eles duram cerca de três minutos.

Com os termômetros registrando 40 graus em várias partes do país, um número impressionante de aves tem morrido de calor. Devido a falhas nos sistemas de ventilação automatizada durante eventuais temporais e quedas de energia, estima-se que mais de meio milhão de frangos e codornas, extremamente sensíveis à temperatura ambiente elevada, já morreram durante o verão. Rio Grande do Sul, Paraná e interior paulista estão entre as regiões onde o problema é mais grave.