Diretor do Ibama é exonerado após operação contra garimpos ilegais

Crédito: Geraldo Magela/Agência Senado

Olivaldi de Azevedo era o homem de confiança de Ricardo Salles no órgão ambiental. 

O diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Olivaldi Azevedo, foi exonerado nesta terça-feira (14) pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A saída está relacionada à repercussão das operações de fiscalização contra garimpos ilegais em Terras Indígenas, executadas pela equipe do ex-diretor.

A megaoperação, exibida em reportagem do Fantástico no último domingo, mostrou fiscais do Ibama queimando estruturas e equipamentos utilizados por criminosos ambientais. Embora prevista por lei, a destruição de maquinário apreendido desagrada o presidente Jair Bolsonaro, que já prometeu acabar com a prática.

Ricardo Salles ainda não se manifestou publicamente sobre a saída de Olivaldi, mas há rumores de que a queima dos equipamentos e a realização da operação sem o seu consentimento tenham sido o estopim para a demissão. A divulgação das imagens na mídia também agravou a situação. 

A relação entre eles já estava estremecida, apesar de o ex-diretor ter sido nomeado para ser o homem de confiança do ministro dentro do Ibama. Acredita-se que ao longo da semana, outros servidores que participaram da megaoperação também sejam exonerados.

Fiscalização

As operações concentraram-se em Terras Indígenas no sul do Pará, onde vivem cerca de 1,7 mil índios. O objetivo é impedir que o desmatamento, o tráfico de animais silvestres e os garimpos ilegais avancem sobre as reservas  e exponham as aldeias ao novo coronavírus. Além de destruir o meio ambiente, os invasores podem ser vetores de transmissão da doença. 

As últimas sinalizações do governo Bolsonaro, de liberar garimpos e reduzir Terras Indígenas, motivou ainda mais criminosos ambientais a exercerem suas atividades ilícitas em áreas protegidas.

As fiscalizações, reduzidas devido à pandemia, foi outro fator que favoreceu a ação de madeireiros e garimpeiros. Só no primeiro trimestre de 2020, os alertas de desmatamento na Amazônia subiram 51% em comparação ao mesmo período de 2019. Entre janeiro e março, pontos de desmate foram detectados em 796 km² da Amazônia Legal.

 

Notícia relacionada:

Número de multas aplicadas pelo Ibama neste ano é o menor dos últimos 15 anos

Rua Antares, 100, Santa Lúcia
Belo Horizonte / MG CEP: 30360-110
Telefone: (31) 3291 0661

Assine e receba as novidades e notícias sobre nossas ações, eventos e meio ambiente