Parque Nacional Marinho dos Abrolhos inaugura trilha subaquática para observação de corais

Crédito:Enrico Marcovaldi

Atrativo pode ser visitado durante o Carnaval

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, detentor da maior biodiversidade oceânica do Brasil, estreou, nesta semana, a trilha subaquática do Chapeirão Mau-Mau. Exclusivos do local, os chapeirões são colunas de corais que se erguem no fundo do oceano e desabrocham na superfície, em forma de cogumelo.

Trata-se de uma oportunidade única para observação do maior complexo de recifes do Oceano Atlântico Sul, localizado entre Bahia e Espirito Santo. Com 140 metros de extensão, a trilha abrange um conjunto de 16 chapeirões, permitindo aos visitantes atravessar bancos de algas e gramas marinhas. Devido ao fundo de areia branca, a vista é espetacular, mesmo em mergulhos mais fundos.

O passeio é interpretativo e guiado, assim como todos os mergulhos autônomos realizados na unidade de conservação. A modalidade também está disponível no período noturno. Ao todo foram instalados 14 pinos na areia, além de cabos que interligam os pontos de interesse, direcionando o trajeto e facilitando a interpretação de cada ponto com seus atrativos específicos. 

Durante o feriado do Carnaval, na próxima semana, a trilha subaquática estará aberta, ficando a cargo das empresas cadastradas a realização do passeio. Apenas embarcações autorizadas poderão circular no local e somente visitantes com credenciamento específico poderão realizar o mergulho durante a noite.

De acordo com Fernando Repinaldo Filho, chefe do parque, a trilha deve ajudar a conscientizar os visitantes sobre a diversidade de ambientes marinhos, ampliando o conhecimento sobre a fauna e a flora locais, em especial os chapeirões. Além disso, a ideia é promover boas práticas de mergulho, aliando a recreação com a preservação ambiental.

Biodiversidade

Um dos principais atrativos do percurso é o conjunto de chapeirões em formato de coração, conhecido como “Janela do Coração”. Ver de pertinho as majestosas anêmonas gigantes, classificadas como ”em perigo de extinção”, é outro destaque do passeio. A espécie, que chama atenção pelo formato de flor, está sempre acompanhada de camarões-palhaço.

Ao longo da trilha, principalmente durante a noite, ainda é possível ver grande quantidade de estrelas-de-cesto (um tipo de estrela-do-mar) e ouriços, que podem chegar a um metro de comprimento. Esponjas de diferentes tamanhos, cores e formatos também são encontradas na UC.

Em relação aos peixes - além dos normalmente encontrados nos recifes - como peixes-cofre, moreias e outros, há grande quantidade de arraias e cardumes de enxadas. Comuns no mar de Abrolhos, xaréu, olhe-te, guarajuba, arabaiana, olho-de-boi e pampo, são outras espécies de peixes que podem ser vistas no ponto de mergulho.

Clique aqui e saiba mais sobre o parque e seus atrativos.

 

Com informações do Ministério do Meio Ambiente e Parque Nacional Marinho dos Abrolhos

Rua Antares, 100, Santa Lúcia
Belo Horizonte / MG CEP: 30360-110
Telefone: (31) 3291 0661

Assine e receba as novidades e notícias sobre nossas ações, eventos e meio ambiente