Notícias

Grupo de Trabalho para analisar proposta de Plano de Manejo da Serra da Moeda realiza visita técnica

Prefeitura de Itabirito quer reduzir zona de amortecimento da unidade de conservação para implantação de empreendimentos industriais

15 de Maio de 2017

O Grupo de Trabalho (GT) para análise da proposta de Plano de Manejo do Monumento Natural da Serra da Moeda esteve em campo no último dia 5 de maio para examinar, in loco, reivindicação da Prefeitura Municipal de Itabirito para redução da área proposta para Zona de Amortecimento (ZN) da unidade de conservação.

A prefeitura pretende que faixa de terrenos marginais à BR 040 seja destinada à implantação de empreendimentos industriais e, portanto, fiquem caracterizadas como de expansão urbana. Como a Lei SNUC (Lei Federal 9.985/2000) estabelece que em zona de amortecimento de UCs não pode haver transformação de áreas rurais em urbanas, a prefeitura deseja excluir os citados terrenos da ZA do Monumento Natural.

No âmbito desta discussão, algumas entidades integrantes do grupo de trabalho e outras da região têm chamado atenção para a importância de se conter a expansão urbana industrial em toda margem direita da rodovia (sentido BH - RJ), de maneira a se manter conectividade na base da serra, onde predominam ambientes florestais.

Este cuidado contribuirá ainda para  a proteção de áreas de recarga hídrica, que alimentam uma série de nascentes nas duas vertentes da serra (vertentes Leste e Oeste), que formam os cursos d%u2019água da região, contribuintes das  sub-bacias dos rios das Velhas e Paraopeba. Estas sub-bacias respondem hoje pela quase totalidade da água utilizada no abastecimento da RMBH e municípios de seu colar envolvente.

Com base nestes argumentos, entidades civis que atuam na região - entre as quais se inclui a Amda - têm se posicionado contra a proposta da prefeitura de Itabirito de reduzir a Zona de Amortecimento proposta no Plano de Manejo da UC.