Notícias

Supermercado no Acre troca lixo reciclável por comida

Cada quilo de material reciclável vale R$ 0,50 em compras

17 de Julho de 2017
Foto Projeto
Crédito: divulgação

O Acre está dando um show de sustentabilidade. O estado abriga o primeiro supermercado brasileiro em que é possível comprar comida com lixo reciclável.

Garrafas PET, latas de alumínio e lacres de garrafas plásticas viram créditos no TrocTroc. Cada quilo de material reciclável vale R$ 0,50 em compras. Se o cliente levar os resíduos já limpos e amassados, facilitando sua reciclagem, o valor do bônus tem acréscimo de 20%.

Nas prateleiras, artigos como frutas, grãos, legumes e verduras - tudo produzido localmente, a fim de valorizar os produtores rurais da região.

O TrocTroc foi idealizado por Marcelo Valadão, presidente da House of Indians Foundation, entidade internacional que luta pelo respeito e preservação da cultura indígena. Não por acaso, deixou o supermercado aos cuidados de membros da tribo Ashaninka, a fim de fomentar a economia local e valorizar seus costumes de troca.

Minas Gerais

A cidade de Nova Resende, em Minas Gerais, também está dando exemplo. Lá é possível "encher a sacola" de frutas e verduras com apenas R$ 2 no mercadinho local, graças ao programa Cidadão Consciente, mantido pela prefeitura desde 2008.

A iniciativa troca resíduos recicláveis por vales que podem ser usados em estabelecimentos credenciados pelo programa, entre eles restaurantes populares e mercadinhos locais.

Qualquer morador pode levar recicláveis ao galpão do Cidadão Consciente. O material recebido é pesado e convertido para reais, conforme o preço de cada tipo de resíduo. O valor final é então impresso no vale, que é entregue a quem doou os recicláveis.

De acordo com a prefeitura, com um vale de R$ 2 é possível pagar uma refeição em um dos restaurantes populares da cidade. Os bons preços são resultado de acordo com os estabelecimentos credenciados do programa, que garante que os alimentos que comercializam sejam provenientes da horta da cidade - também mantida pela prefeitura -, barateando seu custo.