Informações Ambientais

Aproveite as férias para conhecer parques incríveis em Minas Gerais

Unidades de conservação próximas a Belo Horizonte abrigam rica biodiversidade e paisagens deslumbrantes

Foto Institucional
Parque Estadual do Rio Doce abriga a maior floresta tropical de Minas Gerais / Crédito: edhorizonte.com.br
17 de Julho de 2017

O período de férias escolares é sempre um desafio para os pais, que têm a difícil missão de encontrar atividades que agucem o interesse das crianças a ponto de largarem os celulares e abandonarem o vídeo game. Minas Gerais é um estado rico em biodiversidade e possui diversas unidades de conservação que proporcionam uma experiência única com a natureza.

Belo Horizonte está a poucos quilômetros de vários parques estaduais que possuem estrutura para receber visitantes. Alguns possuem área de camping e outros têm casa para hóspedes. Se você não quer dormir fora de casa, curta um dia no parque.

Aproveite as férias para os pequenos conhecerem um parque estadual! Somente assim eles vão entender a importância de conservar nossas áreas verdes, tão castigadas pela especulação imobiliária, desmatamentos, incêndios florestais e loteamentos irregulares. Ensine as crianças, desde cedo, que é dever de todos cuidar do meio ambiente e proporcione uma experiência inesquecível em meio à floresta.

Confira alguns parques estaduais próximos a Belo Horizonte:

- Parque Estadual do Itacolomi
O parque possui 7.543 hectares de matas onde predominam as quaresmeiras e candeias ao longo dos rios e córregos. Abriga muitas nascentes, escondidas nas matas, que deságuam, em sua maioria, no rio Gualaxo do Sul, afluente do rio Doce. Diversas espécies de animais raros e ameaçados de extinção podem ser encontradas na unidade de conservação, como o lobo-guará, a ave-pavó, a onça parda e o andorinhão de coleira (ave migratória). Também podem ser vistas espécies de macacos, micos, tatus, pacas, capivaras e gatos mouriscos. Levantamentos identificaram mais de 200 espécies de aves, como jacus, siriemas e beija-flores.

Distância de Belo Horizonte: 110 km
Como chegar: seguir pela BR 040 e depois pela rodovia dos Inconfidentes (BR 356) para Ouro Preto. O principal acesso ao parque está entre as cidades de Ouro Preto e Mariana, pela rodovia do Contorno, saindo de Ouro Preto em direção a Passagem de Mariana (distrito do município de Mariana), até o entroncamento com a MG 262, onde se localiza a entrada principal do parque.
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h
Hospedagem: a unidade possui alojamento que comporta até oito pessoas (diária: R$ 200,00) e área de camping (diária: R$ 25,00 por pessoa). Para o alojamento é necessário agendamento prévio.
Entrada: R$ 10,00. Gratuita para crianças de até seis anos e idosos
Contato: (31) 3551-6193

- Parque Estadual da Serra do Rola Moça
Situado na região metropolitana de Belo Horizonte, é o terceiro maior parque em área urbana do país e abriga alguns dos mananciais que abastecem a capital. Seus 3.941,09 hectares são habitat de espécies da fauna ameaçadas de extinção como a onça parda, jaguatirica, lobo-guará, gato-do-mato, macuco e o veado campeiro. O parque está situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, rico em campos ferruginosos e de altitude. A vegetação diversificada proporciona à UC um colorido especial e um relevo peculiar, sendo encontradas espécies como orquídeas, bromélias, candeias, jacarandá, cedro, jequitibá, arnica e a canela-de-ema, que se tornou o símbolo do parque. Recentemente descrito pela geologia, o Campo Ferruginoso é muito raro, sendo encontrado apenas em Minas Gerais, no quadrilátero ferrífero, e em Carajás, no Pará.

Distância de Belo Horizonte: 25 km - do bairro Savassi
Como chegar: saindo de Belo Horizonte, pegar a BR-040 no sentido Rio de Janeiro. Entrar à direita no Posto Chefão, segunda rua à direita (Montreal), no bairro Jardim Canadá. Prosseguir até a portaria principal do parque. A distância do Posto Chefão ao parque é de cerca de 3 km, em estrada de terra.
Funcionamento: todos os dias, de 8h às 17h
Hospedagem: não possui
Entrada: gratuita
Contato: 3581-3523

- Parque Estadual do Biribiri
A unidade, com quase 17 mil hectares, está inserida no complexo da Serra do Espinhaço e sua cobertura vegetal é composta por Cerrado, Campos Rupestres e Matas de Galeria. Podem ser encontradas diversas espécies da fauna, muitas delas ameaçadas de extinção, como o lobo-guará e a onça-parda ou suçuarana. Quem passa por Biribiri se encanta não somente pelas paisagens de beleza cênica, com seus rios de leitos de pedras, formando cachoeiras e atravessando campos. A área abriga várias nascentes e cursos d'água: os rios Biribiri e Pinheiros; e diversos córregos, sendo os mais famosos o Sentinela e o Cristais.

Distância de Belo Horizonte: 305 km
Como chegar: partindo de Belo Horizonte, seguir a BR-040 no sentido Brasília e, depois, acessar a BR-259 até Curvelo. Daí, seguir pela BR-367, sentido Diamantina/Couto de Magalhães de Minas. Ao chegar no trevo de acesso ao bairro Cidade Nova, seguir pela Avenida Geraldo Edson do Nascimento até o número 600, onde está localizada a portaria do parque.
Funcionamento: todos os dias, de 9h às 18h
Hospedagem: não possui
Entrada: gratuita
Contato: (38) 3531-7284 / (38) 3532-6698

- Parque Estadual do Rio Doce
O parque abriga a maior floresta tropical do estado, distribuída em 35.970 hectares que protegem um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica do país. O parque é a primeira unidade de conservação estadual criada em Minas Gerais. É possível encontrar espécies da avifauna como o beija-flor besourinho, chauá, jacu-açu, saíra e anumará. Entre os animais estão capivara, anta, macacos-prego, sauá, paca e cotia, bem como espécies ameaçadas de extinção como a onça pintada, o macuco e o mono-carvoeiro, maior primata das Américas.

Distância de Belo Horizonte: 248 km
Como chegar: saindo de Belo Horizonte pela BR-262, seguir no sentido Vitória e entrar no entroncamento para São José do Goiabal, entre João Monlevade e Rio Casca. Depois, prosseguir 6,5 km asfaltados pela BR-320. A partir daí, segue-se a sinalização até a entrada do parque. Outra opção é seguir pela BR-381, sentido Belo Horizonte-Governador Valadares, passando por Timóteo. Dali, até o parque, são 20 km de estrada de terra.
Funcionamento: todos os dias, de 7h30 às 18h
Hospedagem: a unidade possui alojamento que comporta até cinco pessoas (diária R$ 120) e área de camping (pernoite: R$ 15,00 por pessoa).
Entrada: R$ 10,00. Crianças até cinco anos estão isentas e idosos acima de 60 anos pagam meia entrada, assim como estudantes.
Contato: (31) 3822-3006

Minas Gerais possui outras diversas unidades de conservação, abandonadas à própria sorte pelo governo. Em março deste ano, os contratos com empresas terceirizadas responsáveis pela contratação de guardas-parques foi encerrado. A MGS assumiu a demanda e realizou concurso público para seleção de novos funcionários. Nenhuma das questões abordou conhecimento sobre os parques, suas funções, fauna que abrigam, rios que protegem, ameaças que estão sujeitos. As perguntas, destinadas a candidatos com ensino fundamental incompleto, foram totalmente dissociadas da realidade local e das próprias UCs. A prova de português perguntou sobre adjetivos. A de matemática, sobre medida de água em mililitros e a de conhecimentos gerais sobre Donald Trump e informática.
 
Quatro meses depois do concurso, vários parques continuam com déficit de funcionários. Enquanto isso, gerentes se desdobram para proteger as unidades e a visitação é suspensa em alguns casos, como no Parque Estadual da Serra do Brigadeiro, que aguarda a chegada estimada de 14 novos funcionários. No parque do Sumidouro, as trilhas estão fechadas até que os novos funcionários passem por um período de treinamento. O parque estadual do Rio Preto, em São Gonçalo do Rio Preto, um dos mais bem dotados em termos de atrativos turísticos, devido às suas inúmeras cachoeiras e grande poços formados pelo rio Preto, que possui estrutura de hospedagem e restaurante, também está fechado à visitação pública desde o carnaval.