Espécie da vez

Fruta-de-sabiá: doçura que seduz aves e peixes

Árvore é utilizada em fazendas, condomínios e jardins das cidades para atrair pássaros

Foto Institucional Ave aprecia a fruta / Crédito: Viveiro de Mudas Plante Pássaros
29 de Janeiro de 2013

Originária da Mata Atlântica, a Fruta-do-sabiá, Marianeira ou ainda Fruto-do-sabiá (Acnistus arborescens) é um arbusto, ou árvore de pequeno porte, com dois a quatro metros no máximo, e, como o nome mesmo diz, produz frutos extremamente atrativos à fauna, especialmente aos pássaros silvestres e peixes.

 

Nativa da América Central, do Sul e Caribe, no Brasil é pioneira do bioma Mata Atlântica. Suas flores brancas e pendentes do tronco, em cachos, são utilizadas para decoração. Seu fruto é comestível, porém por ser muito pequeno, cerca de um centímetro, não é muito procurado pelo homem. Alaranjado, quando maduro, possui muitas sementes pequenas misturadas na polpa adocicada. Porém deve ser consumido da própria árvore, pois se torna amargo alguns minutos após sua coleta.

 

Essa espécie floresce e frutifica várias vezes ao ano. E, por ter caído no gosto dos pássaros, é muito utilizada por observadores dos mesmos que a cultivam com o objetivo de atrair espécies frugívoras, aquelas que se alimentam, predominantemente, de frutas. "Plantar o Fruto-do-sabiá é uma forma muito positiva de conseguir o retorno em sítios, fazendas e mesmo em jardins das cidades, não só do sabiá, como bem-te-vi, sanhaços, gaturamos e mais dezenas de espécies de aves frugívoras. No litoral do Brasil, é o principal atrativo do tiê-sangue, uma das aves mais belas do Brasil", explica o ornitólogo Johan Dalgas Frisch.

 

Em sua área de distribuição natural, é recomendável seu plantio para recuperação de áreas de mata degradada.

 

Mineiro aprende com nativos

 

A Fruta-de-sabiá também atraiu o produtor rural e ambientalista mineiro José Renato Rezende, conhecido por Gazão. Em uma pescaria com os amigos, no Paraná, ao perceber que o tempo passava e não conseguiam pescar um peixe, os pescadores foram ficando sem paciência. Foi quando o mineiro observou que adiante, índios da região munidos de "sorte", não paravam de pegar matrixãs, piaus, pacus e lambaris em profusão. Ao se aproximar, notou que, como isca, eles usavam uma pequena fruta amarela. Ou seja, o nome da "sorte" era Fruta-do-sabiá.

 

Ao regressar para sua fazenda, em Conceição do Mato Dentro (MG), Gazão trouxe sementes da planta, dando início a um negócio que afirma ser muito gratificante.
Em entrevista ao jornal Folha de Contagem, ele conta que as sementes trazidas dos índios se transformaram em mudas, em uma estufa, e que começou comercializá-las. O produtor também as vende para serem utilizadas na recuperação de áreas degradadas, passando a contribuir para a preservação da natureza. De acordo com ele, atualmente, a planta está fazendo o maior sucesso junto aos moradores da região dos Condomínios de Nova Lima, que o tem procurado para adquirir mudas e, dessa forma, atrair aves.

 

 

Fonte:
http://frutadesabia.com.br
http://www.wikiaves.com/flora:fruta-do-sabia
http://www.colecionandofrutas.org/acnistusarbores.htm
http://frutadesabia.com.br/idealizador/
http://en.wikipedia.org/wiki/Acnistus_arborescens
http://www.amazonzoo.com.br/aves_frugiveras.shtm
http://www.folhadecontagem.com.br/portal/index.php/edicao-da-semana-2009/122-edicao-577-23-a-29102009-/490-fruta-de-sabia-alimenta-e-tambem-ajuda-preservar-a-natureza.html


 

Agenda

Mobilidade Urbana e Meio Ambiente
Terça ambiental
02 de Maio de 2017