Espécie da vez

Ipês florescem e colorem BH

Belo Horizonte tem mais de 27 mil ipês, correspondente a 9% do total das árvores da capital mineira

Foto Institucional
02 de Outubro de 2017

Cheio de cores e admirado em todo o país, o ipê é a árvore ornamental mais plantada no Brasil. Ela surgiu pouco depois dos dinossauros, quando na Terra se desenvolveram as plantas com flores. O ipê faz parte das bignoniáceas, grupo de plantas que tem a flor em forma de funil. Entre a maioria, predomina as flores em cacho, que chegam a formar uma graciosa bolinha. As flores externas se abrem primeiro. Depois, os botões de dentro, cada um a seu tempo. Estrias pavimentadas com pelinhos funcionam como uma pista de pouso para insetos polinizadores. Depois de polinizado, o cacho de flores vira um cacho de frutos.

A árvore floresce entre junho e outubro, de acordo com cada espécie, e fica totalmente desprovida de folhas quando suas flores caem. Ao todo, são cem espécies de ipê dispersas do México até a Patagônia. A maioria pode ser facilmente identificada pela cor de suas flores, enquanto outras se diferenciam por seu tamanho ou tipo de tronco, por exemplo. Os espécimes podem alcançar até 35 metros de altura, dependendo da variedade.

Dentre as espécies mais conhecidas está o ipê amarelo, bastante comum em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. É uma espécie tão querida que em Petrópolis (RJ) foi instituído o Dia do Ipê Amarelo, comemorado em 28 de junho. A árvore é frequentemente utilizada no paisagismo por sua facilidade de floração e porte não tão alto.

O ipê já inspirou até uma proposta para transformá-lo em nossa flor nacional, sendo que o pau-brasil é a árvore nacional. O projeto se arrasta há décadas em Brasília. O ipê é considerado flor símbolo nacional em El Salvador, Equador, Venezuela e Paraguai.

Ao contrário do popular amarelo, o ipê verde é um tipo raro da espécie. Suas folhas e flores se misturam e formam um belo espetáculo monocromático. A medicina popular aposta em suas propriedades para o tratamento de úlcera.

Semelhante a uma árvore coberta por neve, o ipê branco encanta por sua beleza singular. Ele pode ser encontrado no Norte de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás. Uma particularidade dessa variedade é que sua floração dura, em média, menos de quatro dias, enquanto as outras vão de uma semana a 10 dias.

Nesta época do ano, o delicado ipê rosa colore as ruas de Belo Horizonte de rosa e lilás, garantindo o encanto de moradores e turistas. Essa espécie também é conhecida como ipê-roxo-bola, ipê-rosa-de-folha-larga, pau-d'arco-roxo, pau-cachorro, ipê-de-minas, piúna e piúva-preta, entre outros. A árvore pode ser encontrada em quase todo o país.

De acordo com o inventário de árvores desenvolvido pela Prefeitura de BH, das 300 mil árvores, 27.100 são ipês, o que corresponde a 9% do total das árvores da capital, que abriga nove espécies. Entre elas, o rosa lidera o ranking, com 9.665 espécimes.

Confira o levantamento:

Ipê rosa: 9.665 árvores
Ipê tabaco: 6.034 árvores
Ipê amarelo: 2.807 árvores
Ipê roxo: 2.612 árvores
Ipê mirim: 2.475 árvores
Ipê branco: 2.446 árvores
Ipê sete folhas: 901 árvores
Ipê do cerrado: 140 árvores
Ipê verde: 20 árvores