Entrevistas

Santuário das aves
Foto Institucional Letícia de Carvalho Dias no Criadouro de Aves Poços de Caldas / Crédito: Arquivo pessoal
04 de Julho de 2013

A veterinária Leticia de Carvalho Dias assumiu recentemente a gerência administrativa do Criadouro de Aves Poços de Caldas. O santuário das aves, localizado na cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais, é o maior criatório de animais silvestres do Brasil, segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

 

Após voltar de uma viagem ao exterior, Letícia passou a ajudar seu avô, Moacyr de Carvalho Dias, fundador do Criadouro, na parte administrativa e se apaixonou pelas aves. O sonho da veterinária é continuar o legado do avô.

 

Em 1980, Moacyr adquiriu a área em Poços de Caldas e começou seu sonho. Nos seus 13 hectares, desenvolveu os primeiros viveiros para criar tinamídeos, perdizes, codornas e zabelês. Em um segundo momento, ele começou a reproduzir também psitacídeos, muitos dos quais os papagaios mais ameaçados. Com o passar do tempo, adotou modernas técnicas para melhorar a reprodução e o bem estar das aves, como separação por casal em viveiros menores e com solário, música nos corredores para mantê-las calmas, entre outros.

Conforme a história contada no site do Criadouro, em agosto de 1999, Moacyr recebeu de um criador, através do Ibama, 10 casais de Mutum de Alagoas, extintas em seu bioma original. Atualmente, o Criadouro possui cerca de 80 Mutuns.

 

Hoje, o local abriga mais de quatro mil aves de 325 diferentes espécies, além de lhamas, emas e veados. O Criadouro tem uma área de 13 hectares e é dividido em viveiros ou grandes recintos com tanques de água ou lagos.

 

Amda - Quando seu avô começou a se dedicar aos animais silvestres?

 

Letícia Dias - Há 33 anos atrás.

 

Amda - Quando e como surgiu a ideia de fundar um criadouro?

 

L.D - Em 1980, como descreve no site do Criadouro.

 

Amda - Porque você se interessou em continuar o sonho do seu avô?

 

L.D - Sou veterinária de profissão e apaixonada pelos animais, depois de uma viagem a Austrália voltei para morar em Poços de Caldas, e a partir daí comecei ajudar o meu avô no Criadouro na parte administrativa e fui me apaixonando pelas aves.

 

Amda - Atualmente, o criadouro abriga quantos animais?

 

L.D - Mais de 4.000 aves.

 

Amda - Quantos funcionários trabalham no local hoje?

 

L.D - 16 funcionários e 03 veterinários.

 

Amda - Durante a visita, você comentou sobre o comércio de araras azuis. Como funciona este processo e qual é o preço desses animais? Outros bichos também estão à venda?

 

L.D - No Criadouro comercializamos mais de 200 espécies de aves, dentre elas a arara azul, mas que no momento estamos em negociação com o IBAMA solicitando por parte deles a confirmação da autorização da venda delas.

 

Amda - Qual é o custo mensal do criadouro?

 

L.D - Temos um custo de R$45.000,00 mensal.

 

Amda - Qual é o tamanho da propriedade?

 

L.D - 13 ha.

 

Amda - O criadouro tem algum patrocinador?

 

L.D - Não.

 

Amda - Existe a possibilidade de, no futuro, abrir o local para visitação?

 

L.D - Meu sonho é continuar com o legado que meu avô construiu, penso sim em transformar o Criadouro que hoje é comercial em um zoológico de aves, isso se for a única chance de mantermos este sonho vivo, mas que não depende somente da minha vontade, mas também da vontade da família.

 

Amda - De onde esses animais vêm? O Ibama participa desse processo?

 

L.D - Grande parte das matrizes que temos no Criadouro são de origem de apreensões feitas pelo IBAMA que ficaram sobre nossa custódia e algumas aves que recebemos de criadores parceiros que já fecharam.

 

Amda - Como os outros animais, como lhamas, emas e veados chegaram até o criadouro? Como funciona esse processo?

 

L.D - Vieram através de trocas com outros criadores realizado através do IBAMA ou diretamente com o próprio criador.

 

Amda - No site, há informação de que este é o maior criadouro de animais silvestre do Brasil. A informação procede?

 

L.D - Sim, é o dado que o IBAMA passou pra nós.

 

Amda - Geralmente, quem são as pessoas interessadas em comprar estes animais? Qualquer um pode comprar ou existe avaliação do comprador para evitar maus tratos?

 

L.D - Temos como clientes criadores, fazendeiros e também pessoa física que querem ter como animal de estimação  uma arara ou papagaio por exemplo, procuramos saber quem é a pessoa que está comprando e se essa pessoa terá condições de manter a ave adquirida.

 

Amda - Qual o animal mais procurado?

 

L.D - Hoje em dia temos bastante procura de papagaio, arara e também gansos e marrecos.

 

Amda - Qual o mais caro e quanto custa?

 

L.D - É a arara azul e o valor de mercado está em torno de R$40.000,00.

 

Amda - Os criadouros contribuem para diminuir o tráfico de animais silvestres?

 

L.D - Os criadores contribuem realizando a reprodução em cativeiro e a venda legalizada destes filhotes, assim tentando diminuir a comercialização das aves ilegais, mas precisamos do trabalho em conjunto com o IBAMA e outros órgãos que conseguem fazer a fiscalização tomando à frente no combate ao tráfico de animais.

 

Amda - Há sistema de controle de fugas, para evitar a introdução de espécies exóticas na natureza?

 

L.D - Sim, temos corredores de segurança que funcionam para evitar a fuga.

Agenda

Casa Autossustentável: É Possível?
Terça ambiental
04 de Julho de 2017