Ações Históricas

Lista Suja
Foto Projeto

Em 1982, a Amda lançou a primeira Lista Suja, instrumento que se tornou uma das mais fortes ferramentas da luta ambiental em Minas, tendo contribuído fortemente para adequação ambiental de diversas empresas e mudanças em órgãos públicos.


A Lista divulgava nomes dos maiores degradadores em Minas Gerais durante as comemorações da Semana do Meio Ambiente, através de outdoors, teatro de rua, manifestações e, posteriormente, pela Internet. A Lista sempre recebeu grande apoio da imprensa. Foi publicada até o ano de 2005, quando o Conselho Consultivo da Amda optou por encerrá-la, considerando cumprido seu papel.  Sua elaboração e publicação havia se tornado verdadeiro desafio, maior do que a estrutura da entidade. Essa situação ficou insustentável após a Amda ter sido processada por uma empresa nela incluída.


Aprimorado ao longo dos anos, o processo de construção da lista foi um dos retratos da história ambiental em Minas.  Devido à repercussão pública da mesma, a Amda construía uma pré-lista e convidava seus integrantes a discutir se mereciam ou não serem incluídos.  Disso resultaram reuniões históricas entre a entidade e empresas, como a ArcelorMittal (então Belgo Mineira), Petrobrás (Refinaria Gabriel Passos), Acesita (hoje Aperam), Usiminas e outras, que deixaram saldos interessantes, como aproximação e conhecimento mútuo entre os dois setores. E, sem pretender que a Lista Suja tenha sido a única responsável por mudanças, ela teve sem dúvida forte papel na adoção de novas posturas ambientais por parte de muitas empresas e instituições que dela fizeram parte.

Agenda

Mobilidade Urbana e Meio Ambiente
Terça ambiental
02 de Maio de 2017