Ações

Alphaville

Situado no Vetor Sul de Belo Horizonte, às margens da Lagoa dos Ingleses e das BRs 040 (BH/RJ) e 356 (BH/Ouro Preto), esse gigantesco empreendimento imobiliário foi uma grande derrota do movimento ambientalista mineiro. A licença foi concedida no final da década de 90, e o governo, através da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), que, à época, era responsável por analisar e emitir pareceres técnicos sobre licenciamento, recusou-se a exigir estudos e analisar impactos sócio-ambientais em seu entorno. Assim, os impactos sobre o histórico povoado de Piedade do Paraopeba, situado a apenas 9 km do empreendimento, bem como sobre o bairro Jardim Canadá, foram desconsiderados no processo de licenciamento. Outro fator que a Feam e o próprio Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), concessor da licença, recusaram-se a analisar foram os impactos sobre as vias de acesso.  Passados quase 20 anos, os impactos anunciados aconteceram e continuam em andamento. O bairro mencionado, implantado dentro de uma dolina nos limites do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, continua se expandido como local de moradia de mão-de-obra para o Alphaville. Da mesma forma, o Copam continua analisando e licenciando outros empreendimentos imobiliários na região, sem considerar os fatores mencionados. O Alphaville ocupou a Área de Preservação Permanente (APP) em torno da Lagoa dos Ingleses e construiu prédios não autorizados pela licença. Os empreendedores querem que o Copam oficialize o descumprimento e pretendem ainda serem autorizados a construir mais prédios e licenciar a segunda etapa que transformaria o local, potencialmente, em uma cidade com cerca de 80.000 habitantes. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), até o momento, tem "lavado as mãos" e ignorado a situação, apesar do caos em que se transformou o tráfego na região e do avanço da especulação imobiliária sobre os ambientes naturais que  nela restaram.   A Amda e outras entidades da região Sul aguardam há meses que a Semad informe sobre cumprimento das condicionantes da Licença Prévia.     Hoje o projeto Alphaville foi vendido e pertence à empresa Inpar, e sua área inclui extensa faixa à direita da BR-040 (sentido BH/RJ), entre o leito da rodovia e a cumeada da Serra da Moeda.

Agenda

Mobilidade Urbana e Meio Ambiente
Terça ambiental
02 de Maio de 2017